Sofistas I

27/02/2018 13:31

"Se compararmos as obras desses dois sofistas, Protágoras e Górgias - e eu me contentarei aqui em falar apenas desses dois -, percebemos que lhes é comum o empreendimento de humanizar o lógos. Investindo contra a tradição filosófica anterior, eles entendem a razão humana como capacidade de produção e organização da linguagem, não como uma faculdade divina de conhecer a realidade última das coisas. O lógos é um instrumento humano a serviço dos interesses dos homens. Um instrumento que compete aos homens utilizar para o seu próprio benefício, individual e coletivo. Essa reflexão crítica sobre a razão e a linguagem constitui, a meu ver, uma extraordinária contribuição da sofísitica para a Filosofia de todos os tempos."

 

Artigo A Autocrítica da Razão no Mundo Antigo, do filósofo brasileiro Oswaldo Porchat Pereira (1933-2017) publicado no livro O Cetiismo e a possibilidade da Filosofia, organizado por Waldomiro J. Silva Filho


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!