Políticos e intelectuais

05/01/2018 14:37

"Não tenho nada a ver com eles (os políticos), não gosto deles. Para que eles cheguem a um acordo com seus interlocutores, com aquilo que aquilo que vulgarmente chamam de 'massa' ou 'base', os políticos devem sorrir, mentir, subornar ou aceitar suborno. Em outras palavras: comprometer-se. Um poeta não pode fazer isso, não deve. Ele deve aceitar seu destino como um rei antigo. Sem compromissos. O intelectual deve ter - como eu tenho - suas opiniões: mas não pode engajar-se num movimento, um partido, ao lado de um ou de outro. São poucos os plíticos que sabem fazer política, mas quando um intelectual tenta entrar nesse meio, então é o fim de tudo. Ele complica mais as coisas, e torna-se até um elemento pernicioso para a sociedade, criador de confusão e divulgador de promessas mirabolantes que nunca serão mantidas."

 

Jorge Luis Borges (1899-1986), escritor argentino, em entrevista à revista Veja em 17/9/80, publicada no livro A História é Amarela

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!