O jogo de azar do capitalismo brasileiro

10/07/2018 20:59

"O pedinte explora a culpa potencial de quem não foi traído pela vida. Pobre é quem 'não tem sorte', um modo de desconstruir a ideologia do êxito pessoal e profissional, atribuído não à competência e ao esforço de cada um, mas ao mero acaso. Já não é o nascimento ou o esforço pessoal que asseguram êxito ou fracasso. É a mera loteria da vida, própria dos valores anticapitalistas da sociedade da incerteza. O capitalismo brasileiro tornou-se um jogo de azar. Não pressupõe a harmonia do lucro com o bem comum. Foi nisso que fracassamos."

 

José de Souza Martins, sociólogo e professor, em artigo O teatro da pobreza para o jornal Valor de 6/7/2018


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!