Nenhuma liberdade

22/03/2018 21:03

"O homem, em sua essência, em seu caráter inteligível, é 'um ato de vontade, exterior ao tempo, logo indivisível e inalterável'. O caráter empírico, a conduta do homem em casos específicos, está submetido ao caráter inteligível. A liberdade empírica, para Schopenhauer, é uma grande ilusão. Os atos particulares do homem não possuem nenhuma liberdade. Na ação, na escolha, não é a razão que escolhe, é a vontade que - 'inacessível ao intelecto' - nega o livre-arbítrio com sua força irresistível."

 

José Thomaz Brum, O pessimismo e suas vontades - Schopenhauer e Nietzsche


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!