Nem animal nem monstro

04/06/2018 18:09

"Alguns escritores do século VI a.C. deram um ousado passo à frente. Usaram imagens mitológicas para descrever-lhes a luta contra alguns compatriotas israelitas. Mas quando denunciavam com violência compatriotas judeus em termos mitológicos, as imagens escolhidas não eram em geral as mesmas animalísticas ou monstruosas, que aplicavam invariavelmente a seus inimigos estrangeiros. Em vez de Raabe, Leviatã ou 'o dragão', com mais frequência identificavam seus inimigos judeus com um membro importante, ainda que traiçoeiro, da corte divina a quem chamavam de satanás. O satanás não era animal ou monstro, mas um dos anjos de Deus, um ser de superior inteligência e status. Parece que os israelitas consideravam seus inimigos internos não como animais ou monstros, mas como seres sobrehumanos, cujas qualidades e status superiores de membros do círculo interno podiam torná-los mais perigosos do que o inimigo externo."

 

Elaine Pagels, As origens de Satanás - um estudo sobre o poder que as forças irracionais exercem na sociedade moderna


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!