Ideário fascista

26/10/2021 18:42

 

“O governo Bolsonaro nasce com o diagnóstico de que o país seria ingovernável com o sistema de direitos previsto na Carta de 1988 que estariam obstando a acumulação capitalista, como, entre outras, na legislação protetora do meio ambiente e das relações trabalhistas, perfilando seus ministérios na tarefa de derruir o texto constitucional. Ao fundo, em sua cruzada contra a Constituição, investia contra os fundamentos do liberalismo político sobre os quais ela se assentava. Conduzindo com ímpeto de missão a busca de destruição dos fundamentos democráticos da ordem política, tornou-se patente a intenção do governo Bolsonaro de se alinhar – em jeito pragmático, digamos assim – ao ideário fascista, indicada de modo inequívoco pela tentativa de se apresentar o chefe do Estado como entidade mítica e intérprete da vontade da nação, tal como nos idos do Estado Novo de 1937 Francisco Campos intentou apresentar Vargas à nação. Sem rebuços, os ecos da pregação de Karl Schmitt, o jurista do 3º Reich da Alemanha nazista, se fizeram ouvir entre nós na profissão de fé do iliberalismo em política cultivada por Bolsonaro.”

 

Luiz Werneck Vianna, Mais uma hora e uma vez para o liberalismo político. Artigo publicado no jornal IHU Unisinos em 26/10/2021

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!