Homem qualquer

05/01/2018 15:09

"(Gauche na vida). Acho que fui. Porque não aderi ao sistema de valores que dominava na minha época, participei timidamente de um movimento de renovação literária, que não chegou a ser política, nem social, nem econômica. Fiquei na minha toca. Não tenho nada de especial, não. Foi uma vida medíocre. Me deu o prazer de algumas amizades, algumas coisas boas. Eu fui um homem qualquer. Mais nada."

 

Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), poeta e escritor brasileiro, em entrevista à revista Veja em 19/11/1980, publicado no livro A História é amarela.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!