História lenta, conservadora

14/09/2016 19:24

"José de Souza Martisn, em O poder do atraso, defende a ideia de que a história do país é regida pelo poder de uma história lenta. Instituições políticas, estrutura agrária, elites dominantes e a relação Estado-sociedade modernizam-se de forma conservadora, perpetuando, assim, sob novos rótulos, velhos dilemas políticos, sociais e econômicos. Por modernização conservadora, compreendemos a dinâmica de um tempo histórico que se assenta na perpetuação de estruturas arcaicas e faz delas o norte para um sentido de progresso. 

 

Ana Maria de Almeida Camargo (coord.), São Paulo uma viagem no tempo


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!