Eugenia no Brasil

23/12/2017 21:11

"Quando publicou Casa-Grande & Senzala, em 1933, o escritor e antropólogo Gilberto Freyre provocou uma revolução: defendeu que os mestiços, até então considerados a causa dos problemas do país, eram na verdade uma agradável particularidade dos brasileiros. Foi uma reviravolta para ele próprio. Antes de publicar sua obra-prima, o pernambucano, assim como os colegas mais velhos, torcia pelo gradual embranquecimento dos brasileiros. O antropólogo afirmou, por exemplo, que o Brasil deveria seguir a Argentina e clarear a população. "Temos muito que aprender com os vizinhos do Sul", escreveu ao resenhar o livro Na Argentina de Oliveira Viana, um dos grandes defensores da eugenia no Brasil. "Parece que neste ponto a República do Prata leva decidida vantagem sobre os demais países americanos. Em futuro não remoto, a população será praticamente branca."

 

Leandro Narloch, Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!