Cony 90 anos

12/03/2016 14:12

"Cony escreveu  'Da Arte de Falar Mal' no 'Correio' de 1962 a 1965, às quartas, sextas e domingo, revezando com o grande e insípido Otvio de Farias, que saía às terças, quintas e sábados - os matutinos não circulavam às segundas. A diferença entre Cony e os outros cronistas, mesmo Rubem Braga, refulgia: era o único que escrevia pra valer na primeira pessoa. Pela coluna, sabíamos que, além de jornalista, era escritor, romancista, na linha de Alberto Moravia, Cesare Pavese e outros italianos da época. Que fora seminarista, era desquitado, tinha duas filhas, morava em Copacabana, torcia pelo Fluminense e não pecava contra a castidade - pecava a favor. Que não acreditava em nada, ou quase nada, e não se levava, nem a ninguém, muito a sério. Não havia assunto que não aplicasse sua visão cética, sardônica, independente - sem prejuízo de escapadas líricas em que se revelava o homem só, triste e autossuficiente que ele talvez fosse."

Trecho do artigo "Seiva Viva" de Ruy Castro, publicado em12/3/2016 no jornal Folha de São Paulo

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!