Bruno Bauer e a filosofia de Hegel

01/11/2017 01:39

"Mas então por que é que toda a sua posteridade espiritual (a de G.F. Hegel, filósofo alemão) é ateísta? Bruno Bauer, num escrito anônimo de 1841 a título evocativo A Trombeta do Juízo Final sobre Hegel, o Ateu e o Anti-Cristo, oferece a resposta. A filosofia de Hegel, escreve ele, é ilusória. Sob a aparência de 'dignidade e cristandade', dissolve a religião na filosofia por um sistema que não passa de um amplo panteísmo. Ao racionalizar o dogma, Hegel derruba-o. Aliás, a questão: 'Deus existe?' não tem realmente importância para ele, de tal modo a sua resposta é evidente. Deus é o Absoluto, que se realiza na História, mas esse Deus não é um transcendente, é imanente ao finito, é a Ideia e o Todo do finito, é um 'Deus que sem o mundo não é Deus'."

 

George Minois, História do Ateísmo 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!