Autoconsciência

20/02/2017 15:21

"Similarmente, McMahan, baseado em seu dualismo antropológico sustenta que "nós não somos organismos. Nós morremos ou deixamos de existir quando nosso cérebro perde sua capacidade de gerar a consciência, de uma maneira que a princípio seja irreversível. A pessoa humana não é idêntica ao seu organismo biológico, o qual 'não tem nenhum sentido moral intrínsico'; ao contrário, a pessoa é definida como 'uma entidade com uma atividade mental psicológica, e que só é possível quando alcança a autoconsicência."

 

Bernard N. Schumacher, Death and mortality  in contemporary philosophy (Morte e mortalidade na filosofia contemporânea) - tradução de Ricardo E. Rose 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!