Apologia

13/02/2017 12:23

"Não penseis que eu sou rude e grosseiro, que passeio solitário pelos bosques e vales; vou ao encontro do deus da floresta buscar a sua palavra para os homens. Não censureis a minha indolência porque esteja eu de braços cruzados ao lado do ribeiro, pois cada nuvem que flutua no céu escreve uma letra no meu livro. Não me ralheis, ó trabalhadores, porque eu tenha trazido flores inúteis, pois cada florzinha em minhas mãos vem carregada de um pensamento. Não há mistério, a não ser o que é expresso nas flores, e nem segredo algum, a não ser aquele que os pássaros contam nas árvores. A colheita do teu campo, a tua parelha de bois a carrega para casa, mas existe uma outra messe que os teus campos produziram: sou eu quem a colhe numa canção."

 

Ralph Waldo Emerson, Apologia em "Emerson" de Edgar Lee Masters

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!