Acadêmicos versus pirrônicos

23/04/2017 14:17

"De fato, o princípio do pirronismo é a busca da tranquilidade, a supressão da perturbação, perturbação que se produz no filósofo, quando este depara com os mistérios e obscuridades que o mundo nos exibe. De início, convencido - como todo filósofo dogmático - de que tal perturbação será suprimida pela descoberta da verdade, este filósofo, que ainda não é cético, se vê em face de uma discordãncia, que emerge da cosnideração dos vários discursos que visam a comentar e explicar as coisas, discordância que não consegue dissolver, pois tais discursos revelam uma igual força de persuasão, que os nivela a todos como candidatos ineficientes à condição de discurso verdadeiro. A constatação desta incapacidade de resolver o conflito, de dar assentimento a uma doutrina em detrimento das outras todas, esse estado de equilíbrio e repouso do intelecto, no qual se encontra então, essa impressão ou afecção, nada mais são do que a epokhé. E é nessa situação de suspensão que, inesperadamente, o filósofo - agora cético - se descobre em ataraxia."

 

Roberto Bolzani Filho, Acadêmicos versus Pirrônicos


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!