A vida bate

30/01/2017 20:17

"Não se trata do poema e sim do homem

e sua vida

- a mentida, a ferida, a consentida

vida já ganha e já perdida e ganha

outra vez.

Não se trata do poema e sim da fome

de vida,

     o sôfrego pulsar entre constelações 

e embrulhos, entre engulhos.

                 Alguns viajam, vão

a Nova York, a Santiago 

do Chile. Outros fica

mesmo na Rua da Alfândega, detrás 

de balcões e de guchês.

                 Todos te bscam, facho

de vida, escuro e claro,

     que é mais que a água na grama

     que o banho no mar, que o beijo 

     na boca, mais

     que a paixão na cama.

Todos te busca e só alguns te acham. Alguns

     te acham e te perdem.

     Outros te acham e não te reconhecem

e há os que se perdem por te achar

                                         ó desatino

ó verdade, ó fome

                        d vida!

           O amor é difícil 

mas pode luzir em quaquer ponto da cidade.

               E estamos na cidade

sob as nuvens e entra águas azuis.

 

A cidade. Vista do alto

ela é fabril e imaginária, se entrega inteira

como se estivesse pronta.

      Vista do alto,

com seus bairros e ruas e avenidas, a cidade

é o refúgio do homem, pertence a todos e a ninguém."

 

Trecho do poema A vida bate, de Ferreira Gullar em Poemas Ecolhidos


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!