O Estado todo poderoso

25/08/2015 17:39

"Para eles, o governo, ou melhor, o Estado, é o poder social abstrato; é o representante, semre abstrato, dos interesses gerais; é a expressão do direito de todos, considerado como limite dos direitos de cada um. Este modo de conceber o governo está apoiado pelos interessados em salvar o princípio da autoridade e fazê-lo sobreviver apesar das culpas e dos erros daqueles que se sucedem no exercício do poder."

"Os governantes, numa palavra, são aqueles que têm a faculdade, em um grau mais ou menos elevado, de se servir da força social - seja ela  força física, intelectual e econômica de todos - para obrigar todo o mundo a fazer o que eles próprios, os governantes, querem."

"Por que abdicar, em favor de alguns indivíduos, de nossa própria iniciativa? Por que lhes dar a faculade de se apoderar, com ou contra a vontade de cada um, da força de todos e dela dispor a seu bel-prazer? São eles, pois, tão excepcionalmente dotados que possam, com alguma aparência de razão, substituir a massa e prover os interesses dos homens, melhor do que os próprios interessados? São eles infalíveis e incorruptíveis a ponto de que se possa confiar, com prudência, o destino de cada um e de todos à sua bondade?" 

 

Errico Malatesta, A anarquia

Contato

CONSIDERAÇÕES OPORTUNAS rerzeit@hotmail.com